quinta-feira, 30 de maio, 2024

Logo Jornal Folha do Araguaia

Mulher é assassinada com mais de 14 facadas em Barra do Garças pelo companheiro que está preso

Ele procurou à delegacia e disse que tomava remédio controlado e que apenas fez alguns arranhõezinhos na esposa
Por Araguaia Notícia
| Atualizado em 26/09/2022 às 10h32
Um crime covarde abalou a cidade de Barra do Garças (MT) nesse final de semana. O assassinato da jovem Ângela Maria de Moraes Araújo, de 25 anos, que foi morta com mais de 14 facadas pelo companheiro dela, Francisco Ferreira de Assis Silva, de 36 anos. O feminicídio aconteceu no sábado de manhã (24/9), porém o corpo somente foi encontrado à noite na casa da vítima, na rua Cuiabá no bairro União.

A família queria levar o corpo para cidade natal, Barra do Corda no Maranhão, mas não conseguiu e foi sepultado aqui mesmo em Barra do Garças. Aliás, o autor do crime, Francisco de Assis Ferreira da Silva, de 36 anos, também é natural do Maranhão (da cidade de Açailândia) e foi preso na noite de sábado e passou por audiência de custódia na tarde de domingo e permanece preso.
Vale destacar que o criminoso compareceu na delegacia de Barra do Garças, no sábado de manhã, informando que tinha discutido com a esposa e que havia provocado lesões nela com uma faca. Mas segundo ele, seriam apenas ‘arranhõezinhos’ e que não teriam sido graves. Só que Ângela, na verdade, covardemente.

Francisco disse à polícia que tomava remédios controlados e que não sabia informar o local do crime e nem localização da vítima. A equipe da Polícia Civil fez diligências nos hospitais, buscou informações com a Polícia Militar (PM) e Bombeiros, e não conseguiu achar Ângela.

Já no período da tarde de sábado, a Polícia Civil foi novamente procurada, mas desta vez, por parentes de Francisco dizendo que ele também havia sumido e reafirmaram que o mesmo fazia uso de remédios controlados. Diante do impasse, pois não se achava a vítima, o suspeito foi então liberado, e somente à noite, a PM recebeu a informação de que Ângela estava morta na casa deles.
Diante disso, a Polícia Civil prendeu Francisco e o celular dele também foi apreendido. Cedo, ele comentou com a polícia que fez os 'arranhõezinhos' na mulher porque ela teria (segundo versão dele) o chamado de ‘corno’ várias vezes, entre outras agressões verbais. Só que coitada, a Ângela não está aqui mais para se defender da versão do esposo. Outro detalhe, em nenhum momento, Francisco falou aos policias, de que havia matado a esposa.

O perito disse que inicialmente verificou mais de 14 facadas na vítima. As equipes da Delegacia da Mulher e da Central de Flagrantes participaram das diligências que resultaram na prisão do acusado e esclarecimento dos fatos. Ângela congregava na igreja Assembléia de Deus, ministério Belém de Barra do Garças, e a morte dela causou também comoção no meio evangélico da cidade. 

Deixamos aqui os sentimentos à família da Ângela. 

 

PUBLICIDADE

No data was found