domingo, 14 de julho, 2024

Logo Jornal Folha do Araguaia

Canarana recebe Polo de Irrigação para fomentar instalação de pivôs em até 1,6 milhão de hectares no Araguaia

Com irrigação, além de trazer maior garantia na produtividade da primeira e da segunda safra em casos de veranicos ou secas, possibilita ainda uma terceira safra
Por AGR Notícias
| Atualizado em 15/09/2022 às 17h37
Com a população crescendo, a esperança do mundo por mais comida recai sobre o Brasil, com destaque para o Mato Grosso, que apesar de já ser o maior produtor nacional de grãos, ainda pode converter milhões de hectares de pastagens degradadas em lavouras. Porém, só isso não será suficiente. É preciso aumentar a produtividade, ou mesmo acrescer o número de safras por ano, o que só é possível com a implantação de irrigação, muito comum em outros países.

Com esse propósito, foi oficializada nessa semana, com discussões que envolveram diversas entidades durante dois dias (13 e 14), em Canarana-MT, a criação de um polo para pesquisas sobre irrigação no município, atualmente o segundo do estado de Mato Grosso, que possibilitará estudos em todo o Vale do Araguaia e Xingu, levantando dados sobre o potencial hídrico para fomentar a instalação de pivôs em lavouras da região.

Coordenado pela Aprofir (Associação dos Produtores de Feijão, Pulses, Grãos Especiais e Irrigantes de Mato Grosso) e pelo IFMT, o Polo de Irrigação do Vale do Araguaia e Xingu tem a parceria de diversas entidades e das três esferas governamentais. O Município de Canarana, por exemplo, doou a área onde serão feitas as pesquisas. Já o Governo de Mato Grosso colocou toda sua estrutura como apoio ao projeto. E o Governo Federal fará investimentos na área de abrangência do polo para fomentar a irrigação na região.

Com os estudos, por exemplo, será possível saber quanto de água tem nos rios e no solo e quanto disso pode ser utilizado. A iniciativa também aproxima os órgãos responsáveis pelas outorgas e até mesmo facilita o acesso a financiamentos. Investimentos em gargalos de infraestrutura para facilitar a instalação de pivôs também estão previstos, como em energia trifásica. Com isso o produtor terá sustentação científica, jurídica e econômica para investir.

Conforme apresentação no evento, o Brasil tem pouco mais de oito milhões de hectares irrigados, sendo que apenas 170 mil ficam em Mato Grosso, muito pouco para o maior produtor nacional de grãos. O potencial brasileiro é de mais de 50 milhões e, no Estado, pode-se chegar a até quatro milhões de hectares com pivôs. Em Canarana, atualmente existem apenas 150 hectares irrigados, mas o potencial pode chegar a quase 130 mil. Na região do Araguaia Xingu, o potencial de instalação de pivôs alcança mais de 1,6 milhão de hectares.

Com irrigação, além de trazer maior garantia na produtividade da primeira e da segunda safra em casos de veranicos ou secas, possibilita ainda uma terceira safra, algo impossível nos demais países produtores mundiais. Isso gera renda e emprego, diminui a pressão por abertura de novas áreas de florestas e ainda garante a oferta de mais comida, pressionando os preços para baixo, o que beneficia, principalmente, a população mais carente.

“Se por algum motivo acontecerem frustrações seguidas nas safras de soja e de milho, ou mesmo se elas se tornarem inviáveis, o Mato Grosso quebra. Por isso, o governador Mauro Mendes tem sido um parceiro nos projetos para criação dos polos de irrigação, o que dá mais segurança para o produtor rural e também possibilita a produção de novas culturas em terceira safra, como é o caso do gergelim, do qual Canarana já é o maior produtor nacional”, disse o diretor executivo da Aprofir, Afrânio Migliari.

 

PUBLICIDADE

No data was found